Brasileiro tem 29 dias de trabalho consumidos por impostos e corrupção em 2017

0

Levantamento ainda verificou que esse ano foi necessário trabalhar 153 dias apenas para pagar impostos.

O Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) realizou uma pesquisa que constatou que o trabalhador brasileiro teve que trabalhar, em 2017, 153 dias somente para pagar os tributos necessários.

corrupção impostos taxas carga tributária mundo brasil

O resultado foi o mesmo obtido em 2016 e, simbolicamente, significa que tudo o que foi trabalhado até a última sexta-feira (2 de junho) foi destinado aos cofres públicos.

O IBPT chegou a essa conclusão levando em conta sua estimativa de que 41,8% de todo o rendimento ganho pela população é usado para pagar impostos, taxas e contribuições.

Para se ter noção, na década de 1970 era necessário apenas metade desse tempo para arcar com impostos federais, estaduais e municipais: dois meses e 16 dias, em média.

Um mês só para a corrupção

O instituto, conforme afirma Gilberto Luiz do Amaral, presidente do Conselho Superior e Coordenador de Estudos do IBPT, ainda concluiu que apenas a corrupção foi responsável por consumir 29 dias de trabalho de todos os brasileiros este ano.

corrupção impostos taxas carga tributária mundo brasil

Nesse caso, o estudo usou os resultados do Projeto Lupa nas Compras Públicas, que monitora todas as compras realizadas por órgãos governamentais federais, estaduais e municipais e compara o valor pago por eles com o preço que empresas pagam pelo mesmo serviço ou mercadoria. 

Comparação mundial

Levando em conta o número de dias trabalhados necessários para pagar impostos em outros países, o Brasil não está no pódio mundial. Na verdade, ocupamos a oitava posição de um ranking com 27 nações, atrás de países como Dinamarca, França, Suécia e Itália (confirma a relação completa abaixo).

A grande diferença, entretanto, está na qualidade com que esse dinheiro retorna para a população.

corrupção impostos taxas carga tributária mundo brasil

Em outro levantamento realizado pelo IBPT, este traçando um comparativo entre os 30 países com maior carga tributária e o retorno social que eles oferecem para sua população, o Brasil ocupa o último lugar. Na prática, isso quer dizer que, apesar de termos um dos fardos tributários mais pesados, temos um dos piores índices de retorno em prol do bem-estar da sociedade.

Aqui pagamos muito e não temos quase nenhum retorno”, lamenta o presidente do IBPT, João Eloi Olenike.


Dias trabalhados para pagar impostos

                                            Dinamarca: 176 dias            França: 171 dias

                                            Suécia: 163 dias                   Itália: 163 dias

                                            Finlândia: 161 dias               Áustria: 158 dias

                                            Noruega: 157 dias                Brasil: 153 dias

                                            Hungria: 142 dias                 Argentina: 141 dias

                                            Bélgica: 140 dias                  Alemanha: 139 dias

                                            Espanha: 138 dias                Islândia: 135 dias

                                            Reino Unido: 132 dias          Eslovênia: 131 dias

                                            Canadá: 130 dias                  Nova Zelândia: 129 dias

                                            Israel: 125 dias                    Japão: 124 dias

                                            Irlanda: 122 dias                  Suíça: 122 dias

                                            Coreia do Sul: 109 dias         Estados Unidos: 98 dias

                                            Uruguai: 96 dias                   Chile: 94 dias

                                                                    México: 91 dias

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.