BNDES desejar triplicar concessão de crédito para pequenas e médias empresas no 2º semestre

0

O banco quer ampliar os empréstimos para capital de giro de R$ 4 bilhões para R$ 12 bilhões.

O segundo semestre de 2017 deve chegar com uma boa notícia para as pequenas e médias empresas do Brasil: um aumento de até três vezes no valor de empréstimos para capital de giro concedido pelo BNDES.

Capital de Giro, Empréstimos, Invetsimentos, PME, MEI, Concessão de Crédito, Crise, BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social pretende aumentar o valor desembolsado para essa linha de crédito dos atuais R$ 4 bilhões ao ano para R$ 12 bilhões.

Os empréstimos para capital de giro são de curto prazo e servem para dar fôlego financeiro para as empresas seguirem com suas atividades diárias.

O principal objetivo dessa ação é reanimar a economia nacional uma vez que, segundo economistas, o endividamento das empresas é um dos principais fatores que impedem a recuperação econômica e a retomada do investimento.

Tanto é que o novo presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, reuniu-se com o presidente do Banco do Brasil, Paulo Cafferelli, para discutir uma atuação em conjunto das duas instituições.

No caso dos empréstimos para capital de giro, por exemplo, o dinheiro pertence ao BNDES, mas os empréstimos são operados pela rede bancária, em especial pelo Banco do Brasil.

Segundo os critérios do BNDES, pequenas e médias empresas são aquelas que contam com faturamento anual de até R$ 300 milhões.

Capital de Giro, Empréstimos, Invetsimentos, PME, MEI, Concessão de Crédito, Crise, BNDES

Aumento de capital

Especialmente durante os anos de crise financeira no Brasil, o banco de desenvolvimento tem ampliado sua concessão de capital de giro.

Em 2016, para se ter noção, a ex-presidente Maria Silvia Bastos Marques anunciou que aumentaria para R$ 10 bilhões os recursos para esse tipo de empréstimo. Já em 2017, o BNDES também permitiu que grandes empresas fizessem uso desse tipo de crédito no banco, em uma linha direta com o BNDES no valor total de R$ 5 bilhões.

Apesar disso, a avalição de momento é que os números de empréstimos ficaram abaixo do que o banco tinha à disposição para emprestar.

Fonte: Folha de S.Paulo

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Deixe um comentário