Meta de entrega do Imposto de Renda será alcançada, diz Receita

0

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2017 termina no último minuto desta sexta-feira (28) e, até o momento, mais de 22 milhões de declarações já foram enviadas. 

A projeção inicial da Receita Federal é de que 28,3 milhões de declarações fossem enviadas dentro do período oficial, o que faz com que ainda seja necessário receber cerca de 6 milhões de envios em menos de 24 horas para atingir a marca esperada. Apesar disso, o superintendente do Imposto de Renda, Joaquim Adir, garante que “sem dúvida” a meta será cumprida.

“Ainda há tempo e o contribuinte normalmente deixa para a última hora. Todo ano as pessoas deixam para entregar nos últimos dias e nas últimas horas. E hoje em dia é mais simples de fazer [a declaração]. Por isso as pessoas vão deixando. Acho que é cultural mesmo, explica. 

Apesar disso, ele entende que o ideal é não deixar essa obrigação para as últimas horas. 

“A Receita está preparada para receber a qualquer momento. O contribuinte é que sempre corre risco [se deixar para a última hora]. Ele pode ter problemas no seu computador, pode perder o prazo, não achar os documentos necessários. Por isso, é importante entregar o mais rápido possível


A entrega do IR é obrigatória para todas as pessoas que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2016
. Mas esse não é o único grupo. Também precisa acertar as contas com o Leão quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil; quem obteve, em qualquer mês de 2016, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias e de futuros.

Os contribuintes que deixarem de entregar sua declaração terá que uma multa que vai de R$ 165,74 a até 20% do imposto devido

Nenhuma reclamação

Uma das principais novidades no IRPF deste ano foi a exigência do CPF do dependente a partir de 12 anos de idade, ao invés de 14. Porém, de acordo com o superintendente, essa alteração não trouxe nenhuma dificuldade para o brasileiro. “Não tivemos nenhuma reclamação. Acho que todos os contribuintes conseguiram informar o CPF sem problema nenhum. O objetivo era a melhor identificação [dos contribuintes]. Identifica melhor o beneficiário, fica mais fácil a liberação da malha [fina], relata.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.