2017 encerra com maior taxa de desemprego já registrada: 12,7%

0

Mesmo com redução verificada no último trimestre do ano, 2017 atingiu taxa de desemprego recorde.

Segundo os dados da Pnad Contínua, do IBGE, a taxa de desemprego média foi de 12,7% em 2017. Trata-se do resultado mais elevado desde o início da série histórica, em 2012.

Para se ter noção, a média de desemprego registrada em 2016 foi de 11,5%.

Apesar disso, foi possível verificar sinais de recuperação na reta final do ano passado. Isso porque os dados apontam que, com 11,8%, a taxa de desemprego no último trimestre de 2017 foi a menor desde o trimestre encerrado em outubro de 2016.

Essa marca é 0,2 pontos percentuais menor do que a verificada no mesmo período de 2016, quando a taxa de desocupação era de 12%. No trimestre até novembro, o resultado ficou também em 12%.

Renda real

Além disso, a análise da Pnad Contínua aponta que houve um aumento na renda real do trabalhador. No último trimestre de 2017, a renda foi, em média, de R$ 2.154. Esse valor é 1,6% superior ao verificado no último trimestre de 2016.

Já no que diz respeito à renda média de todo o ano de 2017, a marca foi de R$ 2.141. Esse número é, por sua vez, 2,4% maior do que o resultado médio de 2016.

Com isso, a massa de renda real habitual paga aos trabalhadores chegou ao montante de R$ 193,4 bilhões no 4º trimestre – uma alta de 3,6% quando comparado com o mesmo período do ano anterior.

Massa de salário

Por fim, os dados também mostram que a massa de salários em circulação na economia teve um aumento de R$ 6,630 bilhões no período de um ano. No total, a massa de renda alcançou R$ 193,368 bilhões, impulsionado pelos 1,846 milhão de novos postos de trabalho criados

Comparando o último trimestre de 2017 com os últimos três meses de 2016, o crescimento foi de 3,6%.

Já entre o terceiro e o quarto trimestre de 2017, a massa de renda real aumentou 1,9%. Isso representa R$ 3,530 bilhões a mais.

Share.

About Author

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Comments are closed.