Arrecadação federal pode aumentar 4,17% em 2018, aponta estudo do governo

0

Crescimento pode vir por conta do chamado “carregamento estatístico” de um ano para o outro.

Segundo um estudo do Ministério do Planejamento, a arrecadação federal poderá ter um aumento de 4,17% em 2018.

Ao que tudo indica, a arrecadação federal em 2018 pode continuar a surpreender”, aponta o secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento, Marcos Ferrari.

Herança de 2017

A explicação para essa possível expansão vem dos bons resultados na arrecadação federal no segundo semestre de 2017. Por conta da aceleração verificada na segunda metade do ano passado, 2018 pode ficar com uma “herança” positiva

Esse efeito é chamado de “carregamento estatístico” de um ano para o outro e funciona como um ponto de partida. Portanto, mesmo que a variação de arrecadação seja zero em 2018, as receitas com tributos devem crescer nessa magnitude, só por conta desse efeito estatístico.

Além disso, deve ser a primeira vez nos últimos três anos que o carregamento estatístico da receita com impostos e contribuições federais será positivo.

É quase três vezes maior que a média histórica”, afirma o secretário, que ficou responsável por fazer os cálculos do Ministério do Planejamento.

De acordo com um calculo feito pelo Estadão, com base nesse porcentual de alta, seriam garantidos R$ 53 bilhões a mais nos cofres do governo. Nesse calculo foi levado em conta o total de R$ 1,275 trilhão arrecadados em 2017 em receitas administradas.

Impacto positivo no PIB

Ainda de acordo com Ferrari, o carregamento estatístico positivo ainda pode impactar no crescimento do PIB.

Esse indicador também aponta para um ótimo desempenho da economia em 2018, uma vez que ele reflete o desempenho do PIB no ano posterior”, explica.

Para fazer os cálculos, o secretário desconsiderou todos os efeitos extraordinários que influenciaram a arrecadação no ano passado, como o Refis.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.