Brasil perde 1,1 milhão de contribuintes da Previdência em 2017, diz IBGE

0

Queda no número de trabalhadores com carteira assinada é principal explicação.

A Previdência Social perdeu quase 1,1 milhão de contribuintes em 2017. Essa constatação veio a partir dos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo aponta, em 2016 o país contava com 59,21 milhões de trabalhadores ocupados contribuintes da previdência. No ano passado, entretanto, esse número caiu para 58,114 milhões. Isso significa que houve uma redução de 1,096 milhão de contribuintes (ou 1,8%).

As estatísticas do IBGE estão presentes na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) – mesmo documento que informou que a taxa de desemprego atingiu a marca recorde de 12,7% na média de 2017.

Trabalhadores ocupados

Para chegar à conclusão de que o Brasil conta com pouco mais de 58 milhões de contribuintes da previdência, foram levados em conta todas as pessoas ocupadas. Isso inclui trabalhadores formais e sem carteira de trabalho, empregadores, autônomos e aqueles que atuam ‘por conta própria’.

Entre todos os trabalhadores ocupados do país em 2017, 64,1% se encaixavam na categoria de contribuintes da Previdência Social. Considerando apenas os últimos três meses do ano, o percentual foi de 63,4%, atingindo assim o menor patamar desde 2014. Em 2016, esse grupo representava uma parcela maior: 65,5%.

Efeito da crise

A principal explicação para a redução de contribuintes brasileiros está na queda do número de pessoas com carteira de trabalho, causado pelos seguidos anos de crise econômica. Isso porque o profissional com carteira já tem os valores referentes à previdência descontados direto de sua folha de pagamento. Nos demais casos (autônomos e empregadores), o recolhimento previdenciário deve ser feito mensalmente pelo próprio trabalhador.

Segundo a Secretaria da Previdência, realmente existe uma relação entre mercado de trabalho formal e contribuintes. Apesar disso, ela reforçou que pessoas que atuam por conta própria podem contribuir através de programas de incentivo a inclusão previdenciária. São os casos do Plano Simplificado e o Microempreendedor Individual (MEI).

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.