Quase R$ 20 bi serão injetados na economia com pagamento de 1ª parcela do 13º para aposentados

0

Com a antecipação da primeira parcela do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS, serão injetados R$ 19,8 bilhões na economia brasileira entre os meses de agosto e setembro.

A informação é da Secretaria de Previdência, do Ministério da Fazenda.

aposentados e pensionistas do INSS, adiantamento 13º salário, salário, economia brasileira

O órgão também disse que esse montante irá beneficiar 29,4 milhões de pessoas seguradas, que poderão receber metade de seu 13º a partir de 25 de agosto. 

Desde 2006

Com essa medida, trata-se do 12º ano consecutivo que a primeira parcela do 13º salário será paga antecipadamente.

Tradicionalmente, essa primeira metade do benefício é paga em agosto. Mas não se trata de algo obrigatório, já que a lei prevê apenas que esse benefício seja disponibilizado no último mês do ano.

Por conta disso, em 2015, o então ministro da Fazenda Joaquim Levy optou por não incluir esse pagamento na folha de agosto. Seu argumento à época foi de que faltava fluxo de caixa para bancar a despesa e que por isso ela ficaria para dezembro.

Entretanto, diante da pressão feita sobre essa decisão, o governo voltou atrás e pagou o adiantamento em setembro.

aposentados e pensionistas do INSS, adiantamento 13º salário, salário, economia brasileira

Sem desconto

Sobre a primeira parcela do 13º não há desconto de Imposto de Renda, uma vez que, de acordo com a legislação, o IR é cobrado em novembro e dezembro. Sendo assim, só haverá essa cobrança sobre a segunda parcela.

A maior parte dos aposentados e pensionistas irão receber 50% do valor do benefício, mas isso não se aplica a todos os casos.

Aqueles que passaram a receber o benefício depois de janeiro, por exemplo, receberão um valor proporcional.

Além disso, os segurados que estão recebendo auxílio-doença também contarão com uma parcela abaixo de 50% já que, como esse benefício é temporário, o INSS calcula a antecipação proporcional ao período.

Dessa forma, uma pessoa que começou a receber o auxílio-doença em janeiro e que ainda está em vigor neste mês de agosto, terá seu 13º calculado sobre oito meses e receberá, assim, metade deste valor. Se ele continuar recebendo o auxílio até dezembro, receberá então o valor restante.

Porém, se receber alta antes disso, o auxílio-doença será calculado até o mês que o benefício vigorar e será acrescido ao último pagamento.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.