Caderneta de poupança em 2017: depósitos superam saques em R$ 17 bilhões

0

Após dois anos em que os saques superaram os depósitos, caderneta de poupança volta a registrar uma captação líquida positiva.

A caderneta de poupança registrou uma captação liquida positiva de R$ 17,126 bilhões em 2017.

poupança, depósitos, saques, 2017, banco central, rendimento, bilhões

Isso significa que o volume de depósitos superou o volume de retiradas em mais de R$ 17 bilhões.

Trata-se da primeira vez nos últimos dois anos que os depósitos superaram as retiradas, segundo dados divulgados pelo Banco Central. Em 2014, último ano em que a captação havia sido positiva, os depósitos superaram as retiradas em R$ 24,033 bilhões.

Nos anos seguintes, 2015 e 2016, entretanto, a crise econômica e o aumento do desemprego fez com que os brasileiros optassem por sacar suas reservas. Em 2015, os saques superaram em R$ 53,567 bilhões os depósitos. Já no ano seguinte, a diferença foi de R$ 40,701 bilhões.

Dezembro

Ainda segundo o Banco Central, o resultado positivo de 2017 se deu por conta do desempenho registrado em dezembro. No último mês do ano, houve uma captação liquida positiva de R$ 19,373 bilhões. Antes disso, até novembro, a poupança vinha registrando uma retirada líquida de R$ 2,246 bilhões. Porém, no mês seguinte foram depositados R$ 208,604 bilhões na caderneta de poupança, contra R$ 189,231 bilhões retirados.

Ao todo, foram depositados R$ 2,085 trilhões em 2017, contra R$ 2,068 trilhões em saques.

Por fim, o Banco Central também informou que o saldo total de recursos nas cadernetas encerrou dezembro de 2017 em R$ 724,603 bilhões. Os rendimentos da poupança no ano passado totalizaram R$ 42,484 bilhões.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.