Desembolsos, aprovações e novos empréstimos do BNDES estão em queda em 2017

0

Dados divulgados pelo banco apontam reduções de 12 a 20%.

BNDES, financiamento, empréstimo, dinheiro, concessão de crédito, economia

O valor liberado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para empréstimos já aprovados entre janeiro e setembro de 2017 foi 20% menor do que o registrado no mesmo período de 2016.

Enquanto que este ano foi desembolsado R$ 49,97 bilhões, esse montante era de R$ 39,97 bilhões.

Em outros quesitos também foram registradas quedas. Nas consultas para novos empréstimos, por exemplo, que somou R$ 74,96 bilhões ao longo dos primeiros nove meses do ano, a redução foi de 12% em relação a 2016.

Já as aprovações de novos empréstimos atingiram R$ 50,21 bilhões – 12% menor do que no ano anterior.

Todos os números foram divulgados pelo BNDES e não contam com desconto de inflação. Em termos reais, com desconto da inflação, as porcentagens de queda são ainda maiores (-22,4%, -15,1% e -14,9%, respectivamente).

Apesar das reduções, em comunicado o banco classificou os números como “sinais de recuperação.

Os números agregados mostram sinais de recuperação da demanda por crédito a partir da redução da diferença, comparados 2017 e 2016, nas etapas iniciais do processo de concessão de crédito.

Além disso, também houve queda de 9% no valor dos enquadramentos de operações, que somou R$ 66,6 bilhões este ano. Essa é a fase de acolhimento dos pedidos de financiamento, após as consultas.

Micro, pequenas e médias

Em seu comunicado, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ainda destacou a participação das micro, pequenas e médias empresas nos desembolsos. Segundo a nota, essas empresas representaram 41,5% do total no período entre janeiro e setembro de 2017.


Liberação rápida

Por fim, o comunicado do banco apontou que as linhas de crédito com liberação mais rápida apresentaram um considerável crescimento

Entre janeiro e setembro, houve um crescimento de 289% na linha BNDES Giro. Já o BNDES Finame cresceu 13% em igual período.

Segundo o superintendente de Desenvolvimento e Pesquisa do banco, Maurício Neves, esses dados são um sinal de retomada econômica.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.