Gamificação na educação: como o recurso ajuda na atenção dos alunos?

0

Com o avanço tecnológico vivenciado em diversas áreas do conhecimento, os processos pedagógicos também têm sido impactados.

A gamificação na educação pode contribuir positivamente para que a escola, enquanto instituição, reveja suas metodologias de ensino.

gamificação na educação, gamificação, educação, gestão escolar, alunos, ambiente educacional

Vários elementos estão sendo incluídos nos planos de ação, decorrentes da interação homem-máquina, como, por exemplo, as ações relacionadas à gamificação na educação.

No post de hoje, vamos falar mais sobre esse método inovador e mostrar as contribuições dele para o dia a dia escolar. Acompanhe!

O que é gamificação

A palavra gamificação vem do inglês “game”, que significa “jogo”. O método envolve o transporte de recursos, regras e estratégias tipicamente presentes em jogos para situações de ensino, como, por exemplo, o ambiente da sala de aula. Na gamificação, por meio da ludicidade, além do aprendizado, diversos outros processos são desenvolvidos, como a colaboração e a interação.

Esse método pode ser uma forma de sanar, ou pelo menos minimizar, uma situação enfrentada pelas instituições de ensino nos últimos anos: o desinteresse, cada vez maior, dos alunos nos períodos em que passam dentro de uma sala de aula, uma das principais causas de evasão escolar. Afinal, a crescente onda tecnológica propicia o contato direto de crianças e jovens com avatares personalizados e redes sociais complexas e divertidas, com jogos que estimulam seus praticantes a lidar com uma grande variedade de conhecimentos.

Os benefícios da gamificação na educação

Agora que você já conhece um pouco mais da metodologia, está na hora de entender a importância de incorporar a tecnologia e os jogos para melhorar o aprendizado escolar em meio às transformações da era digital.

Veja 5 benefícios de usar a gamificação na educação: 

1. Proporciona diversos estímulos ao aprendizado

Dinâmicas e jogos eletrônicos encantam os estudantes, incentivando-os a desenvolverem várias habilidades. Além do raciocínio lógico, do espírito de equipe, da competitividade e da multidisciplinaridade, o jogador mantém um nível de atenção elevado durante todo o jogo. Ou seja, a todo o momento, ao jogar, o estudante é exposto à aplicação do conhecimento que obteve, numa tentativa de unir teoria e prática.

2. Permite a vivência de situações cotidianas

A gamificação possibilita também que os alunos trabalhem com experiências do dia a dia. Por meio de jogos, é possível entender fenômenos científicos, como experiências realizadas em laboratório. Há também como praticar, por exemplo, a educação financeira, por meio da simulação de situações de compra e venda. Ou seja, o aluno pode, em uma hora de diversão, vivenciar aspectos do cotidiano — e o aproveitamento dependerá do jogo oferecido e da forma como ele será inserido na metodologia de ensino. 

3. Possibilita avaliar o rendimento em tempo real

Ao contrário das práticas pedagógicas tradicionais, com a gamificação, o aluno consegue acompanhar o próprio desempenho em tempo real. A vantagem é que ele tem, à disposição, dados sobre seus pontos fortes e fracos e, consequentemente, pode verificar rapidamente onde pode melhorar. E a cada vez que jogar, vai querer melhorar a performance.

4. Ajuda a estimular a autoconfiança

A gamificação na educação estimula os participantes a se desafiarem. Durante a competição, é possível usar variadas estratégias para alcançar um determinado objetivo. Para tanto, o competidor é posto à prova, precisando utilizar seus conhecimentos e habilidades, e, caso seja bem-sucedido, conquista credibilidade e um sentimento de confiança em si mesmo.

5. Envolve a comunidade docente

Além de despertar a atenção dos alunos, a gamificação na educação acaba fazendo sucesso também entre os professores, que, ao verem os alunos estimulados, sentem-se motivados a se debruçar mais sobre o tema e a criar novas oportunidades para desenvolverem no ambiente escolar.

 

Fonte: Gennera

Compartilhar

Sobre o autor

Fonte

Esta é uma réplica publicada na fonte acima. As opiniões veiculadas no texto não refletem necessariamente a opinião do Grupo Skill.

Deixe um comentário