Inadimplência empresarial cresce mais de 33% durante a crise

0

Para FecomercioSP, apesar do crescimento, inadimplência manteve-se em níveis controláveis durante os últimos três anos.

inadimplência empresarial, empresas inadimplentes, dívidas, empresas, gestão empresarial, economia brasileira, crise

Uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) deu números para um cenário que já é de conhecimento de todos: a crise afetou as operações de crédito das empresas.

Intitulado “Juros e Inadimplência no Brasil 2014-2016”, o estudo levou em conta justamente os piores anos da recessão econômica. A conclusão – obtida com base nos dados do Banco Central – foi de que o saldo das operações de créditos para pessoa jurídica caiu no período em questão.

O volume registrado ao final de 2014, por exemplo, foi de R$ 946,1 bilhões em operações de créditos para companhias. Esse montante foi 2,3% menor do que o verificado em 2013.

Já em 2015, a queda foi de 5,2%. Porém, o pior ainda estava por vir: em 2016, a queda foi de 15,5%, resultando em um saldo de R$ 757,7 bilhões. Isso significa que, entre 2013 e 2016, houve uma queda de 22% (quase R$ 212 bilhões) nas operações de crédito.

Para essa análise, a FecomercioSP considerou somente as operações formais de empréstimo, não levando em conta as operações lastradas em recursos direcionados.

Crédito em queda, juros em alta

Se por um lado as operações de crédito estão em queda nos últimos anos, por outro lado a taxa efetiva de juros médios cobrados segue crescendo. Saltou de 21,3% ao ano em 2014 para 27,5% em 2016 (em 2015 ficou em 24%).

Dessa forma, o valor desembolsado pelas companhias apenas com o pagamento de juros também subiu. De R$ 165,8 bilhões no primeiro ano de análise para R$ 183,9 bilhões em 2015. No ano seguinte, houve uma redução, contabilizando R$ 174,7 bilhões. Esse montante represente 2,7% do PIB nacional.

Esse movimento de aumento dos juros pode ser explicado como uma forma de o sistema financeiro se proteger.

Inadimplência

Diante desse cenário, é inevitável concluir que o nível de inadimplência empresarial aumentaria no mesmo período. De acordo com o levantamento, a inadimplência das empresas no Brasil registrou um aumento real de 33,5% entre 2013 e 2016: de R$ 29,6 bilhões para R$ 39,6 bilhões.

Apesar disso, a FecomercioSP julga que esses dados são positivos, uma vez que, segundo explica, as empresas conseguiram manter a inadimplência em patamares controlados.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.