Pesquisa: investimento anjo cresce 9% no Brasil, mas ainda enfrenta dificuldades

0

Organização Anjos do Brasil, que realizou o estudo, apontou ideias que podem estimular o investimento anjo no país.

investimento-anjo, anjo do Brasil, investimento, Brasil, economia, pequenos negócios, crise, empreendedorismo, política


De acordo com uma pesquisa realizada pela Anjos do Brasil, e divulgados durante o Congresso de Investimento Anjo 2017, a modalidade apresentou um crescimento de 9% nos investimentos em 2016, atingindo uma marca de R$ 851 milhões.

Ainda de acordo com o levantamento, houve ainda um aumento de 11% no valor médio investido por investidor-anjo, chegando a R$ 120 mil.

Apesar disso, o presidente e fundador da Anjos do Brasil, Cassio Spina, acredita que esse tipo de investimento ainda passa por um momento difícil no país.

Se não houver políticas de estímulo, o crescimento dessa modalidade pode vir a ser estancado. Esse é um segmento com muita margem de crescimento. Atualmente, temos pouco mais de sete mil investidores-anjo no Brasil dentro de um grupo de quase 150 mil potenciais investidores“, explica.

No final do mês de julho foi publicado uma Instrução Normativa que regulamenta o investimento-anjo no Brasil. Essa IN, entretanto, foi criticada pelo presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Para ele, os altos percentuais de tributos determinados na instrução para os contratos de participação, além do risco sempre existente nesse tipo de operação, devem afastar os investidores, especialmente os pequenos.

Houve consultas públicas, enviamos contribuições técnicas, mas praticamente nada foi alterado no texto original da Receita Federal. Nossos parceiros do mercado investidor receberam com apreensão a IN, pois numa primeira análise ela impacta negativamente as startups, ao priorizar investimentos acima de R$ 1 milhão e taxar os investimentos de pequeno porte”, afirma.

 investimento-anjo, anjo do Brasil, investimento, Brasil, economia, pequenos negócios, crise, empreendedorismo, política

Razões para o crescimento

Mas, se a situação da modalidade não é, hoje em dia, das melhores, o que explica o crescimento observado em 2016? Cassio Spina aponta três motivos:

O caráter inovador das empresas recipientes desses investimentos, que permite que elas não sejam afetadas pela crise ecônomica;

– O fato de serem investimentos de médio e longo prazo; e

– A desvalorização de modelos tradicionais de investimento.

Melhorias para o investidor-anjo

Diante desse cenário, a Anjos do Brasil deseja colocar em prática alguns planos que devem melhorar o ambiente do investimento anjo no país. A principal ação apontada pela organização é estender a isenção tributária – que já é aplicada para outras modalidades de investimento – para o investimento anjo.

Além disso, outra opção é adotar um sistema em que os investidores-anjo podem receber deduções de até 50% em seu imposto de renda. Esse método é aplicado em países como Inglaterra e França.

 

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.