Pagamento de 13º trará mais de R$ 200 bilhões para economia brasileira

0

Valor será encaminhado para 83 milhões de trabalhadores formais.

salário, 13º salário, economia, economia brasileira, benefício, trabalhadores, beneficiários

De acordo com o levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o pagamento do 13º salário fará com que R$ 200,5 bilhões sejam injetados na economia brasileira até dezembro. Ao todo, aproximadamente 83 milhões de trabalhadores receberão o benefício esse ano.

O montante calculado pelo departamento representa cerca de 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Além disso, foi verificado que, em médica, cada trabalhador formal receberá R$ 2,2 mil em 13º.

Para chegar a esse resultado, o Dieese usou dados da Relação Anual de Informação Social (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho. Também foram usadas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE, da Previdência Social e da Secretaria Nacional do Tesouro (STN).

O número de 83 milhões leva em conta todos os assalariados com carteira assinada, empregados no mercado formal, nos setores público (celetistas ou estatutários) e privado, que trabalhavam em dezembro de 2016, mais o saldo do Caged de 2017 (até agosto). Da Pnad, foi utilizado o contingente estimado de empregados domésticos com registro em carteira.

Ainda foram considerados os beneficiários (aposentados e pensionistas) que, em julho de 2017, recebiam proventos do INSS, do Regime Próprio da União e dos estados e municípios. Para esses dois últimos, entretanto, não foi obtido o número de beneficiários.

Por outro lado, no calculo do impacto do pagamento do 13º, o Dieese não leva em conta profissionais autônomos, assalariados sem carteira ou trabalhadores com outras formas de inserção no mercado de trabalho que, eventualmente, recebem algum tipo de abono de fim de ano. A justificativa é de que esses tipos de dados são de difíceis de mensurar.

Região Sudeste

Ainda de acordo com o levantamento, quase metade (49,4%) do montante proveniente do 13º será pago nos estados da região Sudeste. São neles (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espirito Santo) que está concentrada a maior parte dos empregos formais, aposentados e pensionistas do país.

Depois do Sudeste, aparece a região Sul, onde será pago 16,2% do total. Em seguida, aparecem as regiões Nordeste e Centro-Oeste, com 15,9% e 9,0%, respectivamente. Por fim, o Norte será responsável pelo pagamento de 4,7% dos mais de R$ 200 bilhões.

Os 4,9% restantes, conforme explica os técnicos do Dieese, dizem respeito aos beneficiários do Regime Próprio da União, que podem estar em qualquer região do Brasil.

Maiores e menores valores

O Distrito Federal é onde serão pagos os maiores valores de 13º: R$ 4,2 mil, em média. Já o Maranhão e o Piauí, com média de R$ 1,5 mil, são os locais onde serão pagos os menores valores. Nesse quesito, entretanto, não são incluídos o pessoal aposentado pelo Regime Próprio dos Estados e dos municípios, uma vez que o Dieese não conseguiu obter esses dados.

Estados em crise

Enquanto o 13º salário representa um acréscimo fundamental para a renda de milhões de brasileiros, há uma parcela que, até o momento, não sabe quando e como receberá seu benefício.

 

 

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.