Pequenos negócios superam mais uma vez médias e grandes empresas na geração de empregos

0

Entre janeiro e setembro, apenas em um mês os pequenos empreendimentos demitiram mais do que contrataram.

pequenos negócios, geração de emprego, trabalho, vagas de trabalho, Sebrae, MPE, MEI, Brasil

Segundo o levantamento mensal do Sebrae, que usa dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), fornecido pelo Ministério do Trabalho, as micro e pequenas empresas continuam sendo as principais responsáveis pela criação de empregos no Brasil em 2017. 

Em setembro, as pequenas companhias criaram 51,2 mil novos postos de trabalho. Já as médias e grandes empresas seguiram a direção oposta: fecharam 16,1 mil vagas.

Com isso, e considerando também o saldo de empregos das empresas ligadas à administração pública, o Brasil encerrou o mês de setembro com um saldo positivo de 34,4 mil vagas.

Acumulado 2017

Até o momento, entre janeiro e setembro, os pequenos negócios fizeram 389 mil contratações a mais do que demissões. Por outro lado, as médias e grandes demitiram 200 mil profissionais a mais do que contrataram.

Para se ter noção da importância das pequenas companhias na criação de novas vagas de trabalho, apenas em março elas registraram um saldo negativo, ou seja, com mais demissões do que contratações.

Por sua vez, os médios e grandes negócios contabilizaram um saldo positivo em apenas dois meses: abril e maio.

Os pequenos negócios são os grandes responsáveis pela redução do desemprego no país. Eles são fundamentais para impulsionar a retomada da economia”, garante a diretora-presidente em exercício do Sebrae, Heloisa Menezes.

Serviços na liderança

Os dados compilados pelo Sebrae ainda dão conta de que, considerando os números de 2017, as micro e pequenas empresas (MPEs) do setor de Serviços foram as que mais contrataram. Elas criaram 234,3 mil novos empregos, o que representa 60% do total.

Considerando apenas os resultados de setembro, o setor respondeu por cerca de 25 mil novas vagas. Dessas, mais de 10 mil vieram de pequenas empresas do ramo imobiliário. Outros 5,6 mil postos foram criados nos segmentos de alimentação e hospedagem.

As micros e pequenas empresas que atuam no Comércio também tiveram bom desempenho no mês passado. Esse grupo gerou 15,2 mil vagas. Um pouco atrás apareceram as MPEs da Indústria de Transformação, com 12,3 mil novas ocupações.

O setor Agropecuário, por outro lado, foi o único em que os pequenos negócios não contrataram mais do que demitiram. O saldo de setembro para eles foi de -8,1 mil empregos.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.