70% da renda de trabalhadores brasileiros vêm de pequenos negócios, diz Sebrae

0

Ao todo, são mais de 50 milhões de pessoas que tiram suas receitas de negócios de pequeno porte.

Segundo um estudo realizado pelo Sebrae, os pequenos negócios respondem pela geração de renda de 70% dos brasileiros ocupados no setor privado.

pequenos negócios, trabalhadores brasileiros, Sebrae, economia, dinheiro, receita

Os dados do levantamento dão conta de, dos 72 milhões de brasileiros que formam o grupo citado acima, 50,6 milhões tiram suas receitas de negócios de pequeno porte.

Entre esses quase 51 milhões de pessoas, 26 milhões são empreendedores que atuam por conta própria ou que empregam demais profissionais. Já os 24,7 milhões restantes são trabalhadores com ou sem carteira assinada.

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, destacou a relevância desses dados.

Mesmo com a retração da economia, o número de empreendimentos aumentou. Isso evitou uma maior estagnação do país. Se não houvesse o empreendedorismo de pequeno porte, o número de desocupados seria ainda maior”.

Ele também argumentou que, atualmente, as micro e pequenas empresas representam 27% do PIB (Produto Interno Bruto) e geram 54% da massa salarial.

Os pequenos negócios são os que mais contratam quando a economia cresce, demoram mais tempo a demitir na desaceleração da economia e são os que menos demitem na retração da economia”, enumera Domingos.

Ainda segundo o presidente do Sebrae, “entre o 1º trimestre de 2014 e o 1º trimestre de 2017, o número de desempregados passou de 7 milhões para 14,2 milhões de pessoas. No mesmo período, o número de empreendedores cresceu 1,6 milhão, mitigando a situação do desemprego”.

O levantamento

Para realizar esse estudo, o Sebrae fez uso de diversas pesquisas e dados sobre o mercado de trabalho e sobre empreendedorismo.

Portanto, foram usadas, por exemplo, informações do IBGE, RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNADC), dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, entre outros.

O instituto também destacou que, sempre que possível, também fora utilizados dados internacionais, para realizar uma comparação internacional. Nesse caso, foram usados dados da Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD), do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) e o Global Entrepreneurship.

Compartilhar

Sobre o autor

Guilherme Uchoa

Integrante do Núcleo de Comunicação do Grupo Skill. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, e pós-graduado em: Apuração e Produção de Reportagem; Criação e Edição do Texto Jornalístico para Diferentes Mídias; Jornalismo Cultural; Teoria da Comunicação; Comunicação, Redes Sociais e Cibercultura; e Comunicação, Globalização e Cultura da Imagem.

Os comentários estão fechado.